Enxaqueca Ocular

A enxaqueca ocular ou oftálmica é um conjunto de alterações visuais binoculares ou monoculares, conhecidas como aura, seguido usualmente de forte dor de cabeça, enjoos, mal-estar e sensibilidade a luz e ao som.

Cerca de 3% à 5% das pessoas apresentam alterações visuais que começa com pontos cintilantes ou em formato de zigue-zague em apenas um dos olhos que se espalha gradualmente, gerando pontos cegos que se amplia e bloqueia temporariamente a visão por cerca de 20 à 30 minutos.

Pode ocorrer também sintomas como interferência na fala, formigamento ou dormência nas mãos e pernas, pálpebra caída (ptose). Uma questão importante é que a enxaqueca oftálmica atinge apenas um olho e seus sintomas são transitórios e de regressão completa após 4 ou 72 horas. No entanto, se a pessoas tiver problema em ambos os olhos, isso demonstra para o oftalmologista que não se trata de enxaqueca ocular e sim de outros problemas ou doenças que podem ser até mais graves.

A dor da enxaqueca oftálmica pode ser latejante ou em peso e sua intensidade varia de muito leve para muito forte, e embora pareça grave é geralmente inofensiva.

CAUSAS

Apesar de ser comum, as causas da enxaqueca ainda é um mistério.

-Mutações genéticas no cérebro que causam anormalidades neurológicas que levam a enxaqueca.

-Distúrbio no Sistema Nervoso Central. Certos estímulos provocam uma cadeia de eventos bioquímicos e neurológicos sendo que alguns afetam o sistema nervoso central, culminando em enxaqueca.

-Depressão Alastrante Cortical. Evento complexo que afeta impulsos elétricos do cérebro temporariamente as funções neurais e vasculares.

-Distúrbios Químicos. Deficiência de Magnésio, serotonina e de cálcio.

-Desequilíbrios hormonais. Oscilações de estrogênio e progesterona, podem aumentar o risco de enxaqueca principalmente em mulheres.

GATÍLHOS

-Estresse 

-jejum prolongado

-dormir demais ou de menos

-Mudanças brutas de temperatura e umidade

-Perfumes e odores fortes

-Esforço físico 

-Determinados Alimentos e bebidas

-Menstruação

TRATAMENTO

Medicamentos como neuromoduladores, betabloqueadores, antidepressivos, antivertiginosos e cuidado com a alimentação e com o bem estar físico e mental.